sábado, 21 de março de 2009

Brioches, frutas africanas e vidros chineses



Eu sou louca por pães franceses. Tanto o pãozinho de 50 gramas de padaria como brioches. Pãozinho francês eu não faço pois acho mais fácil compra-los já que são sempre bons quando frescos, não há risco de erro. Mas brioches, nem tanto. Brioches, para comer um bom, eu preciso fazer em casa já que aqui, em Trondheim, não há bons brioches. Havia um lugar que vendia um ótimo brioche, que vinha congelado de Oslo e era assado aqui, mas o lugar fechou. A confeitaria francesa daqui não faz brioches, percebi que deve-se ao fato do povo norueguês gostar de comer uma coisa que eles chamam de 'hvit bolle', um pão branco redondo com forte tons de cardamomo, normalmente maior do que o brioche, e que pode ser feito com passas, com creme, com chocolate, com canela, com geléia e por sua versatilidade ocupa a posição social do brioche na sociedade norueguesa. Nenhum problema, mas eu não gosto de 'bolle'. Não sei se é por causa do excessivo sabor de cardamomo ou porque a maioria dos 'bolle' que vende por aqui são de má qualidade. Claro que há bolle frescos, de padaria, mas eu acho que não são bons. Talvez, se eu os fizesse em casa, mas nunca tentei.



Já brioches, bem, brioches eu amo e faço de vez em quando. O Per também os faz, já que ele tem uma mão bem melhor do que a minha para pães. Hoje eu fiz os brioches, briochinhos individuais, de cabecinha, assados na forminha de brioche. Usei uma eceita diferente, uma receita de brioche de pobre, com menos manteiga. Assim, ficaram bons, mas não ficaram maravilhosos, na minha opinião faltou manteiga. Eu queria experimentar uma receita nova e o resultado dela agradou mas não arrasou. Não sei se vou fazer novamente, prefiro mil vezes mais a receita do
Olivier Anquier
que é a receita de brioche que eu tenho usado direto e que funciona super bem.

O lance com a receita do Olivier é que a massa precisa passar 12 horas na geladeira e depois o pão ainda fica mais uma hora crescendo na forma antes de assar. Mas brioches em geral levam tempo mesmo. É um pãozinho demorado. Esta receitinha levou mais de quatro horas para poder ir ao forno. Mas quatro horas é um tempo bem melhor do que 13 horas de espera, não? Mas as apressadas comem 'cru', vale a pena investir sua paciência na receita do Olivier Anquier .




Brioche Meio Rápido


2 xícaras de farinha de trigo (xícara de 240ml)
1 colher de sopa de fermento de pão seco ( este fermento vem em saquinhos e o peso pode variar, tem de 5, 6, 10 ou 12 gramas, depende do produtor e do país)
1/2 colher de chá de sal
2 a 4 colheres de sopa de açúcar (a quantidade varia de acordo com o gosto, eu gosto de brioche menos doce e uso apenas 2 colheres)
100 ml de leite morno
2 ovos + 1 gema para pincelar
100 gramas de manteiga

Como:

Misture farinha, fermento, açúcar e sal sobre uma supefície seca. Faça um buraco no meio da farinha e com uma mão vá adicionando o leite morno e com a outra misturando leite com a farinha. Pode usar um garfo, mas eu uso os dedos.

Adicione a manteiga e vá misturando para incorporar toda a manteiga a massa. Por fim adicione os ovos, um de cada vez. Vá mexendo bem a massa, de baixo para cima, para incorporar. Se a massa vai estar meio molenga e grudenta, mexa até ela desgrudar da mão. Não adicione mais farinha pois aí vai ressecar. Trabalhe, trabalhe e trabalhe a massa com as mãos até ela ficar homeogênea e soltar das mãos. Quando estiver no ponto coloque num pote limpo grande, cubra e deixe crescer por pelo menos duas horas, se puder deixe crescer por 3 horas. A massa deve crescer e dobrar de tamanho.

Depois da massa ter crescido você precisa trabalhar a massa novamente, por uns 10 minutos. Não sei se sovar seria o termo ideal, vá mexendo, dobrando, dobrando de novo, virando, amassando, até ela ficar super macia. Abra a massa e a divida em 12 bolas ou 12 quadrados do mesmo tamanho.

Coloque um quadradinho/bolinha em cada uma das forminhas untandas com manteiga. Se não tiver forminha de brioche use forma de empada, pastéis (Portugal), bolinhos ou de muffins. Deixe crescer por mais uma hora antes de assar. Se quiser formar uma 'cabecinha' no brioche sugiro ver o vídeo do Anquier com o nome de Briocheterapia onde ele ensina a moldar o briochinho. É bem fácil de fazer vendo, mas difícil de descrever em palavras.

Depois que os pães tiverem crescido (vão crescer bem) aqueça o forno a 200C. Pincele gema sobre os pãezinhos e leve para assar. Asse por 10 minutos a 200C e depois abaixe a temperatura do forno para 180C e asse por mais 10 minutos.



A massa rende 12 briochinhos ou um pão de forma grande. Para fazer o pão grande use uma forma de pão normal, faça um corte no meio do massa na direção mais longa da massa (serve para sair o ar), pincele com gema e asse por 30 a 40 minutos repetindo o processo de duas temperaturas. Primeiro 10 minutos a 200C e o tempo restante a 180C.




Essa semana eu comprei estes potes 'azul piscina' numa liquidação na Ikea. A Ikea é uma loja sueca que distribui ao redor do globo produtos chineses baratos, de qualidade duvidosa, com um design escandinavo lindo. Nada de muito sensacional saí da Ikea, nada que vá durar ou do qual você vá se orgulhar em cinco ou dez anos. A Ikea é apenas uma solução de consumo barato para as classe médias do planeta. Eu comprei montes de coisas na Ikea, mas a idéia principal de quem compra na Ikea é sempre de economia, não de beleza ou de qualidade. Ainda que todas as coisas da Ikea sejam de design, assinados, são designs comprados muito baratinho (o meu Per, que é designer, me conta em detalhes como a coisa funciona) produzidas em milhões e vendidas a centavos. Simplesmente não duram. Tome por exemplo uma espátula de cozinha, o chamado 'pão duro', a espátula da Ikea dura em geral uma semana. Quebra, parte, entorta, deforma e mancha. Eu fiz um teste com elas.

Mas olhe, não pense que eu não sou uma pobre compradora da Ikea. Todos os móveis da minha cozinha são da Ikea, diz que tem garantia de 25 anos, mas o fato que me levou a eles foi custarem menos da metade do que custava a cozinha italiana feita sobre medida que vendia na loja de cozinhas tradicional onde o produto além de mais bonito era de melhor qualidade. Enfim, fazer o que, sou pesquisadora, professora e jornalista. A cozinha italiana fica para outro, eu comprei a cozinha pre-moldada de design sueco.

Estes potinhos de vidro que eu amei são bem vagabundinhos (riscam, perdem o esmalte e não duram) mas são lindos. Ficam incríveis sobre um prato branco. Tomamos sopa neles ontem a noite e ficaram lindos com uma sopa de cenoura. Custaram apenas NOK 5,00 (R$ 1,50) cada e não vão durar muito, mas vão embelezar minha mesa por um tempo.



Não ficaram lindos com as ameixas sulafricanas? As ameixas rosas da África do Sul estão que é um mel. Estelita devorou quase todas ontem, mas eu não resisti e tive que mostrar as belezinhas sulafricanas que sobraram nos meu potes cor de piscina.



E o maracujás roxos e lindos do Zimbabwe? Assim que o Obama declarou que ia manter as sanções econômicas contra o Zimbabwe eu fui atrás de algo do Zimbabwe para comprar e achei os maracujás mais incríveis. Toda semana eu compro maracujás do Zimbabwe já que eu não estou neste mundo para sancionar país africano algum. Ora, pois... E assim, quase todos os dias eu bebo meu mate gelado batido com maracujá 'zimbabuiano' feliz por contrariar a vontade assassina de George Bush e agora também de seu herdeiro sancionador Barack Obama.

Importante frisar que dentre as coisas mais crueis que se faz neste mundo, e de comprovada ineficiência diga-se de passagem, estão as sanções econômicas contra nações soberanas, de qualquer tipo. Pune-se apenas o povo simples. Eu, como defensora dos povos independentes de todas as orientações políticas, não subscrevo.

10 comentários:

Alcina disse...

E eu que pensava que as coisas do Ikea eram de qualidade!! nunca pensei que também já estivessem contaminados pelos chineses :-)nunca comprei nada de importante lá mas até gosto das coisas deles :-)
E brioche também nunca provei :-) mas gostei das suas considerações, tenho que experimentar essa do olivier.
bjinhos

mesa para 4 disse...

Humm que brioches tentadores...isso com uma manteiguinha...muito bom...

Heloísa disse...

Oi, Cláudia,
E não é que nós duas começamos nosso post, de hoje, falando sobre pão francês? Delícia, não? Principalmente quando acabou de sair do forno (da padaria!).
Brioche ambém é muito bom.
E seus pratinhos novos, muito simpáticos.
Acho que a Ikea ainda não chegou no Brasil, não?
Beijos

Moira disse...

Olá Cláudia,
Eu também sou fã de brioche, nunca fiz em casa, embora por aqui não seja muito fácil de encontrar nas padarias.
De resto concordo com a sua opinião em relação ao Ikea, apesar de também comprar lá algumas coisas, não são grande coisa mas sempre alegram a cozinha por uns tempos.
Os maracujás são iguaizinhos aos da minha mãe, estou ansiosa que estejam maduros, pois são deliciosos.
Bjs e bom fim de semana
Moira

Magia na Cozinha disse...

Estes brioches ficaram com um aspecto maravilhoso! Eu nunca fiz ou sequer provei, mas tenho muita vontade. Que bom que leva bem pouco açúcar.
Os pratinhos são um mimo! Que pena que não duram.
Aqui lançaram esta loja IKEA, mas nunca visitei. Pelo booklet que mandaram notei que tudo é super barato. Parece o Walmart dos móveis.
Eu conheço chinês que se nega a comprar coisas feitas na China, hehe.
Bjs :)

Nana disse...

rs mas eu quero as receitas dos pães dai amiga, pode rebolar na cozinha e mostrar para gente do lado de cá rs
O homem do fusquinha é tudo de bom né?!
Ele é o homem dos pães! rs
Os pratinhos são lindos, agora me diz a Ikea é a mesma coisa que casas Bahia?
kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
Bjsss

Leonor de Sousa Bastos disse...

Olá Cláudia!

Ainda hoje andei a ver receitas de brioche! Queria fazer uns para o meu pequeno-almoço de amanhã mas já era demasiado tarde para ter tempo de os refrigerar e fermentar ainda hoje! :(

Fiquei-me então por outros pãezinhos que fossem de encontro ao meu horário apertado e os brioches ficaram nos meus sonhos até um próximo dia!

Os seus, com esse aspecto lindo vieram só para me fazer inveja...:P

Aqui em casa a mobília é toda ikea...já vinha incluida quando a aluguei!:) Também costumo comprar lá imensas coisas mas, se algumas são óptimas, outras, nem por isso!

As ameixas e os maracujás ficam a matar nos seus potes novos!;)

Beijinhos!

Isabel disse...

Também não concordo muito com sanções económicas, muito por causa disso que você falou. O povo acaba por ser o sacrificado. E os povos africanos já sofreram e sofrem tanto, infelizmente.
Nunca comi brioche! Agora, ameixas adoro.
Quanto ao IKEA gosto principalmente de alguns móveis bonitinhos ao estilo sueco. Louças nunca comprei. A qualidade não é muita, mas para o preço não podemos esperar muito mais, não é?
Bjs

Ana de Bruxelas disse...

Claudia estou encantada com seus brioches!!!
Já vai para minha lista de prioridades ;-)
Esses pratos estão lindos!
Eu adoro as utilidades e 'inutilidades' lindas do IKEA mas minha obssessão são os guardanapos...não consigo sair de lá sem um pacotinho mesmo que o estoque em casa esteja grande ;-)
Merci pela visita e pelas preciosas dicas sobre os macarons ;-)
Bisous,

Luciana Håland disse...

Ai, que bom que agora já sei que os apetrechos de cozinha do Ikea não tem qualidade, porque eu ia lá fazer uma feirinha sábado.

Já a cozinha pretendemos comprar lá, já fui em outras lojas, cutuquei, bati, abri e fechei, e achei as cozinhas do Ikea com qualidade compatível e o preco bem mais em conta. Conheco quem tem cozinha ikea já há um bom tempo e está satisfeitíssimo, então a sua deve durar também.

Já me surpreendi com coisas que comprei no Ikea e fiquei satisfeita com a qualidade, mas infelizmente nem sempre.

Seus potinhos são lindos. Adoro essas coisinhas.
E que ameixas lindas, aqui ainda não apareceram, fiquei com água na boca.

Beijo

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...