domingo, 18 de outubro de 2009

De olho nos pães dos vizinhos...



Um dias desses que passou foi o dia de assar pães e um monte de blogs se jogou na empreitada. Eu, de passagem por alguns dos blogs, vi um monte de pães lindos, divinos e maravilhosos e um pão em especial me deixou totalmente interessada. Claro que eu comeria todos os outros com felicidade, eu amo pães, mas o pão da Gasparzinha eu tinha que fazer. O pão maravilhoso que me tirou da cadeira e me levou para a cozinha para fazer foi levemente alterado, um mínimo detalhe apenas, retirei o limão já que a cara do pão me deixou pensando em outros sabores. O meu projeto quase deu errado já que lá pelas tantas tivemos que sair, ir ao aeroporto, visitar a sogra e eu deixei o pão crescendo por mais de três horas num pote dentro do forno (desligado). Quando voltamos, eu fui resgatar o pão e ele não tinha crescido horrores e estava, digamos assim, com uma carinha bem cansada.



Mas eu não desanimei e enquanto preparava uma sopa de frango com cenoura eu dobrei o pão e o deixei descansar novamente. Ele cresceu maravilhosamente depois de dobrado e ainda cresceu mais no forno e no final ficou uma maravilha. As fotos foram noturnas, um tanto soturnas, mas deixam ver a qualidade da massa que a receita proporciona. Eu sempre fui um pouco medrosa em relação aos pães de casca dura já que eles sempre saem diferentes nas minhas mãos, mas este ficou um espetáculo, um show de bola, arraso total e eu já vou começar a fazer outro misturando um pouco de farinha de trigo integral a massa. O ponto mais complicado da receita é a dobra do pão e a hora de abrir o cilindro dobrado para colocar a emenda para baixo, mas com cuidado a coisa dá super certo. De resto é um dos pães mais fáceis de se fazer que eu já fiz. Servi o meu pão com a tal sopa de frango e cenoura e bastante manteiga...



Pão

A receita de um livro de pães pode ser lida aqui no blog da Gasparzinha, mas eu vou dar uma revisada para aquelas brasileirinhas que prefiram um português menos puro, mais carioca...


1 saco de 12g de fermento seco
500g de farinha de trigo comum
10g de sal (atualização: eu acho 10g muito sal para um pão e passei a reduzir esta quantidade pela metade)
350g de água quase fria



Como:

Num pote grande, ou sobre uma mesa, coloque o fermento, a farinha, o sal aos poucos va adicionando a água. Usando as mãos misture os ingredientes por cerca de dois minutos até que uma massa grossa tome forma. Transfira a massa para uma bancada sem a enfarinhar e comece a trabalhar a massa com as mãos. Esticando para cima e dobrando a parte esticada por sobre a massa, esticando e dobrando novamente e dando umas boas amassadas na massa, por cerca de cinco minutos,até formar uma massa macia que desgrude das mãos e da bancada. Faça uma bola, dobre a borda para baixo, enfiando para dentro da massa e coloque novamente no pote salpicado de farinha. Salpique farinha sobre a massa e deixe descansar por uma hora ou até que dobre de tamanho (eu deixei mais de três horas).

Depois que a massa cresceu coloque-a numa bancada e, usando as mãos, abra um retângulo de massa com cerca de 50cm X 30cm. Com o retângulo deitado de frente para você dobre a parte da esquerda até o centro imaginário do retângulo e depois dobre a parte direita igualmente até o centro do retângulo formando um quadrado. Dobre a parte dobrada do lado esquerdo sobre o lado direito formando um cilindro e pressione as pontas para fechar bem. Abra o cilindro de massa de modo que a emenda das dobras que você acabou de colar fiquem no meio do pão na parte de baixo. Coloque o pão numa forma untada e enfarinhada, ou forrada com papel manteiga, cubra e deixe crescer por mais uma hora.

Pré-aqueça o forno a 250C e coloque na base do forno um tabuleiro vazio. Na hora de colocar o pão para assar coloque uma xícara de água fervendo no tal tabuleiro vazio e quente. A água vai bulir um pouco e vai evaporar enquanto o pão cozinha mas vai criar vapor, o que ajuda a formar no pão aquela casca grossa e estaladiça. Polvilhe a superfície do pão com farinha e faça um corte com uma faca. Reduza o forno para 220C e asse por 10 minutos nesta temperatura. Passados os 10 minutos iniciais reduza o forno para 200C e asse por mais 45 minutos.

Obs. Eu fiz um pão grande e precisei assar o pão por mais tempo pois a parte de baixo do pão não recebeu o mesmo calor que a parte superior já que havia um tabuleiro no fundo do forno com água e ficou um pouco clarinha demais. Nos 10 minutos finais eu retirei o tabuleiro que estava na base do forno, onde estava a água que então já tinha evaporado, e retirei o pão da forma e o coloquei para acabar de assar diretamente sobre uma grelha arramada. Ele dourou perfeitamente a parte de baixo e ficou perfeito. O som da casca soou maravilhosamente bem e o resultado foi totalmente aprovado.

Rendeu um pão de 850 gramas



Pena que o pão foi comido ontem a noite por uma família de gulosos e hoje só tinha um pedaço muito pouco fotogênico disponível. Mas vale totalmente a pena arriscar esta receita.

11 comentários:

Dani disse...

Hoje mesmo deixei um comentário no blog dela, antes de vir aqui. Acabei de fazer uma sopa de cherívia e lentilhas e vi que meu pão semanal está no fim. Mas acho que será amanhã a tentativa. O da semana passada foi o de iogurte, que ficou delicioso também!
Ah, tentei fazer os ninhos de chocolate, meia-receita e não deu certo... Acabei com uns biscoitinhos bem gostosos, mas não redondinhos como os seus, já que a massa não deu ponto para enrolar. Não sei o que fiz errado, pois a única alteração foi diminuir a receita, mas fielmente às proporções. Da próxima, farei inteira.
Um beijo e boa semana!

cacahuete disse...

O seu paozinho ficou com bom aspecto.

Ja marchava uma fatia com manteiga.

Jocas

Sarinha disse...

Que pão lindo! Hum....

Magia na Cozinha disse...

Ficou realmente muito bonito este pão e com uma sopinha fresca, nada melhor.
Eu ainda não tinha visto a receita. Estou aguardando a listagem geral.
Bjs :)

Verena disse...

Claudia,
eu já andei dando umas olhadas também nos blogs participantes do World Bread Day 2009 e as maravilhas são tantas que nem sei...a Gasparzinha me inspirou para fazer a massa do Artisan Bread e a Foccacia que postei no WBD foi a partir daí.
Esse seu pão está lindo! Ainda não consegui essa casca tão durinha!
Um beijo grande!

Noémia disse...

Bem esse pão tem um aspecto maravilhoso.
Eu também adoro pão mas este eu não me atrevo a fazer. Tem demasiadas voltas para o meu gosto e acho que me sairia mal. Afinal demorou para eu fazer um pãozinho gostoso que todos comessem cá em casa! :)

Gina disse...

Não tenho a menor dúvida quando você diz que vale a pena arriscar essa receita. Que lindo ficou esse pão!
Apesar de estar usando bastante minha MFP, gosto muito mais dos pães elaborados e com formato diferente daquele tijolão da máquina.
Tem réplica para o seu comentário lá no Naco... rsrs!
Bjs.

gasparzinha disse...

Claudia, como ficou lindo!
A crosta está perfeita. :)

Fico muito contente que tenhas experimentado pois é como dizes, a receita é do mais simples que há, e é a forma de modelar a massa que nos dá esta consistência interior fantástica.

Beijinhos.

Moira disse...

Cláudia,
Com tanta inspiração, era quase impossível não ser contagiada pela magia de cozer pão. Também fiquei com vontade de fazer o pão da Gasparzinha, principalmente porque não conhecia este método.
O seu pão ficou com um aspecto perfeito, espero que continue a fazer pães lindos como esse.
Bjs
Moira

Tânia Saj disse...

Esse pão ficou digno de uma vitrine!

Beth/Lilás disse...

Claudia,

Teu blog e fotos são simplesmente maravilhosos!

Tô aqui me deleitando com ele, apesar do regime que tenho que fazer depois de uma viagem super engordiet que fiz à Europa agora.
Ai, que delíciasssss!

beijos

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...